Como escolher o ar-condicionado para sua casa ou empresa

Escolher corretamente o ar-condicionado que você vai instalar em sua residência ou empresa é fundamental para que tenha suas necessidades atendidas e não registre problemas com o nível de climatização do ambiente. Segundo Alex Chen, Gerente Comercial Nacional da Gree do Brasil – maior empresa fabricante do mundo de ar-condicionado e uma das maiores do País -, é necessário observar uma série de fatores no momento da compra do aparelho, desde o tamanho do ambiente, até o consumo de energia.

“Utilizar o ar-condicionado apenas para deixar o ambiente gelado pode acarretar um gasto de energia muito elevado, prejudicando o equipamento e causando desconforto. O uso ideal é a climatização dos ambientes, que permita uma temperatura equilibrada, e para isso é importante escolher o aparelho adequado a cada ambiente”, recomenda o Gerente Comercial Nacional da Gree.

Veja as recomendações do executivo da Gree quanto às principais dúvidas que os consumidores têm na hora de escolher um ar-condicionado:

1. Qual o aparelho adequado para o ambiente?

Para ambientes pequenos e com pouca movimentação de pessoas ao longo do dia, como quartos ou banheiros, é aconselhável o uso dos modelos split, que possuem geração de volume menor de ruídos, uma vez que sua unidade evaporadora, que é a parte compacta e silenciosa, fica na área interna do ambiente, enquanto a parte geradora de ruídos é instalada na parede externa da edificação. Para ambientes maiores e com maior concentração de pessoas, recomenda-se o uso de aparelhos com maior eficiência e rapidez, de modo a garantir um equilíbrio melhor da temperatura.

2. Qual o tamanho adequado de aparelho que eu devo comprar?

O aparelho deve ser escolhido de acordo com o tamanho do ambiente, considerando o nível de BTUs. Quanto mais BTUs possuir um ar-condicionado, maior será sua potência de refrigeração. Por isso, é importante definir a capacidade adequada do ar-condicionado para que o ambiente não fique nem frio demais, nem deixe de suprir as necessidades. Para calcular os BTUs, você pode entrar no website da Gree: https://www.gree.com.br/btus

3. Como automatizar a operação do ar-condicionado dentro de casa, para obter a melhor climatização?

Os aparelhos Gree possuem tecnologia que possibilitam programar seu funcionamento para variados tipos de ambientes, de acordo com cada temperatura e hora de funcionamento.

Por exemplo, se o usuário chega a sua casa às 19h00, o aparelho pode ser programado para ligar 10 minutos antes, na temperatura desejada. Isto sem dúvida vai dar mais conforto, sem ter que se preocupar com o calor ou o frio.

Na hora de dormir, o aparelho Eco Garden Gree, por exemplo, possui a função “curva do sono”, por meio da qual o aparelho adapta a temperatura do aparelho à temperatura do corpo e do ambiente. Como a temperatura do corpo humano cai durante o sono, o ar-condicionado da Gree faz seu trabalho, aumentando gradativamente a temperatura e ajustando-se à temperatura do corpo humano, de forma a garantir o equilíbrio e o bem-estar e evitar que a pessoa, ao acordar, sofra um impacto térmico.

4. Nos ambientes costeiros, que cuidados o usuário deve ter com aparelho de ar-condicionado? Há modelos mais adequados para essas áreas?

Em áreas de litoral, a incidência de sais da maresia é maior; sabe-se que esses sais oxidam e corroem com maior facilidade algumas estruturas. Portanto, em ambientes assim, recomendamos manutenções preventivas de acordo com o padrão estabelecido no manual do produto e de garantia.

Os aparelhos de ar-condicionado Gree são os mais procurados em regiões com alta maresia, pois possuem serpentina e tubos de cobre, com a maior espessura do mercado, variando de 0,7mm a 0.9mm, além de possuir as tecnologias blue layer e gold layer, que dão proteção extra nas aletas da serpentina, aumentando a durabilidade do aparelho.

5. Onde devo instalar o aparelho?

Nos casos de uma residência que ainda não foi construída, o projeto da edificação deve identificar o melhor local para a instalação do aparelho, de modo a não interferir em outros sistemas. Nesse caso, devem ser elaborados sistemas elétricos e de filtragem de ar adequados, de acordo com as necessidades de cada ambiente e conforme a demanda de pessoas no recinto. Prédios, de forma geral, já costumam apresentar esse espaço, enquanto em lojas e outros estabelecimentos é preciso adaptar o local para receber o aparelho.

6. Quais outras características é preciso observar na hora de comprar o aparelho?

É importante avaliar quesitos como o nível de consumo de energia, pois hoje há aparelhos econômicos que reduzem o consumo de energia em até 60%. Além disso, é importante avaliar se você quer um aparelho Quente e Frio. A vantagem destes equipamentos é que eles podem ser utilizados inclusive no inverno, para manter a temperatura em nível agradável, inclusive podendo aquecer rapidamente o ambiente.

Os aparelhos inverter possuem uma rotação do compressor moderada, conforme a necessidade do ambiente, e evitam que o compressor ligue novamente, com picos de energia, por isso, garantem uma economia eficaz de energia.

 

A Gree Electric Appliances é a maior empresa de ar-condicionado do mundo, destacando-se em pesquisa e desenvolvimento de produtos, vendas e serviços. Foi incluída, em 2017, na lista das “2.000 maiores empresas do mundo” da revista Forbes, posicionando-se em 364° lugar no ranking geral e em 1º lugar na indústria global de condicionadores de ar.

Manta de Lã de PET é alternativa verde para isolamento termo acústico

Com a lã de PET, material reciclado e que dá origem a produtos 100% recicláveis, a Trisoft oferece uma alternativa segura e verde para o tratamento térmico e acústico das construções.

“Nossa maior preocupação era aliar o processo produtivo verde, ou seja, sem degradação ambiental, com um produto que fosse seguro para o isolamento termo acústico no setor da construção civil”. A frase é de Maurício Cohab, Diretor da Trisoft, maior fabricante de itens com lã de PET da América Latina. A empresa desenvolveu a Manta de PET, um produto alternativo às tradicionais lãs de rocha e de vidro, que degradam o meio ambiente e ainda trazem riscos à saúde.

A Manta de PET é feita 100% de poliéster, material totalmente reciclável. Além disso, ainda é hipoalergênica, não causa mal algum à saúde do instalador e elimina a utilização de equipamentos de proteção, como macacões de manga longa, luvas, máscaras e não precisa ser ensacada. “Isso significa que criamos um produto ecológico, saudável e que é muito mais durável, suporta a umidade e não deforma, além de deixar a obra mais leve”, enfatiza Maurício.

Veja as vantagens da Manta de PET

  • Possui ótimo custo x benefício, tornando a obra muito mais leve e eficiente;
  • Pode ser embalada à vácuo, garantindo um transporte mais barato;
  • É hipoalergênica, dispensando o uso de luvas e máscaras no seu manuseio;
  • Não sofre deformação ao longo do tempo, mantendo suas propriedades de isolamento permanentemente;
  • Possibilita ficar em contato com a umidade, sem perder suas propriedades.

“É preciso reforçar que, por ser hipoalergênica, a Manta de PET diminui o tempo de aplicação e o custo com EPI´s, deixando a obra mais limpa, mais rápida e mais barata. O instalador trabalha muito mais confortável e sem riscos à saúde, evitando também ações trabalhistas por insalubridade, além de garantir a qualidade de vida dos futuros ocupantes do imóvel”, finaliza Maurício.

Sobre a Trisoft
A Trisoft é a maior fabricante de produtos com fibras de garrafas PET da América Latina. Atuando há mais 55 anos no mercado, com qualidade, seriedade e responsabilidade sócio ambiental, investe em tecnologia para o desenvolvimento de produtos, transformando a despoluição do planeta em matérias primas para fazer produtos que melhoram a vida das pessoas.
www.trisoft.com.br

Compradores desconhecem processos para aquisição de imóvel

Na corrida pela realização do sonho da casa própria, muitas vezes, as pessoas acabam deixando de lado importantes detalhes que envolvem o processo de compra. Em alguns casos, o comprador possui pouco ou nenhum conhecimento das etapas necessárias para o fechamento de uma negociação imobiliária. Sem preparação, os aportes financeiros que são necessários ao longo do processo acabam pesando demais no bolso do consumidor que, em alguns casos, acaba desistindo da compra e elevando os índices negativos do mercado. Por isso, é importante planejar a compra e contar com a opinião de profissionais especializados.

De acordo com o coordenador de vendas e marketing da AP Ponto Construtora, Tadeu Costa, esse tipo de situação é recorrente nas negociações de empreendimentos. “As pessoas normalmente desconhecem grande parte do processo e acabam se assustando quando é preciso pagar taxas e encargo, por exemplo. Para diminuir as taxas de distrato, oferecemos um treinamento direcionado, reforçando com os consultores de vendas a importância de explicar tudo claramente ao cliente no momento da negociação, evitando cancelamentos de contrato no futuro”, explica.

Com foco principal no segmento “Minha Casa Minha Vida”, a construtora vê esse desconhecimento partir, especialmente, dos jovens e daqueles que estão comprando o primeiro imóvel. “Para muitos é a primeira grande compra da vida e acabam indo pelo impulso de sair logo do aluguel, sem fazer o planejamento adequado, pesquisar sobre o assunto e tirar todas as dúvidas com o consultor de vendas. O comprador devidamente esclarecido contribui para que o processo seja mais rápido e eficiente, além de ter mais confiança na sua decisão”, completa Tadeu.

Outro ponto que costuma gerar dúvidas ao consumidor é o que realmente está incluso na entrega do imóvel na planta. Tendo como base as imagens de divulgação do empreendimento e a visita ao apartamento decorado, muitos consumidores criam expectativas que não se cumprem no momento da entrega das chaves, gerando desconforto na etapa final do processo. “É preciso apresentar quais serão os acabamentos do apartamento e também o que está ou não incluso nas áreas de uso comum. O corretor tem essa função de orientar e o cliente também precisa esclarecer todas as suas dúvidas e saber o que realmente está sendo pago, o que muitas vezes não acontece”, reforça Costa.

Com objetivo de simplificar e orientar os consumidores, a AP Ponto conta uma web série com vídeos explicativos que apresentam os detalhes sobre o processo de compra. “A nossa missão é descomplicar o sonho da casa própria de nossos clientes. Por isso, buscamos e investimos em iniciativas que valorizem e que facilitem o entendimento das principais etapas do processo de compra de qualquer empreendimento”, finaliza.

Sobre a AP Ponto

A AP Ponto é uma construtora e incorporadora que atua no segmento médio da construção civil, principalmente em empreendimentos do padrão “Minha Casa, Minha Vida”. A missão da empresa é descomplicar o sonho da casa própria.

Dicas para receber amigos e familiares em casa para o Natal e Reveillon

Fim de ano é mais do que comum receber amigos e familiares em casa para as festas de Natal e Reveillon. Confira 6 dicas para você se organizar na hora de preparar a casa para receber seus convidados sem estresse e em alto estilo.

Veja dicas da coordenadora de treinamento e capacitação da empresa Parafuzo , intermediadora online de serviços domésticos, para ser um ótimo anfitrião e garantir que a casa esteja perfeita para celebrar com seus convidados.

Diagnóstico

Primeiro, caminhe por todos os cômodos da casa e analise o que precisará ser feito ou limpo, conforme sugere Taís. “Procure ter um olhar de visitante e pense no que seus convidados poderiam reparar e faça sua lista de tarefas baseada nesses detalhes”, aconselha.

Superfícies

Segundo a coordenadora de treinamento da Parafuzo, o próximo passo é garantir que a superfícies dos móveis, armários e eletrodomésticos estejam limpas e sem poeira. “Afinal,as superfícies desses itens geralmente estão ao alcance dos olhos”, orienta.

Itens decorativos

“A maioria das pessoas reaproveitam itens decorativos e por isso eles ficam meses guardados em caixas fechadas esperando o momento para serem usados novamente”. Portanto, se esse é o seu caso, a dica é limpá-los antes de dispô-los pela casa.

Cozinha

A limpeza da cozinha é importantíssima para você conseguir preparar os pratos com mais rapidez e sem correr o risco de contaminar algum alimento. A Taís orienta que além da limpeza geral, é necessário fazer uma limpeza completa na geladeira. “Assim você não se perde na hora de pegar algum ingrediente e também para evitar constrangimento caso algum convidado abra sua geladeira e encontre uma bagunça lá dentro”, alerta.

Banheiros

Não basta só deixar o banheiro bem limpo. a organização dos itens é essencial: “Um espaço organizado também nos dá a sensação de limpeza, por isso vale organizar seus itens pessoais como shampoos e cremes. Também não se esqueça de deixar à disposição toalhas limpas”.

Peça ajuda

Considere pedir ajuda se você sentir que precisa. Desde parentes ou até mesmo diaristas. “A Parafuzo é uma plataforma online que dispõe de profissionais de limpeza para cuidar dos lares em mais de 25 cidades. Vale a pena recorrer a esse tipo de ajuda não só em ocasiões especiais, mas também ao longo do ano.”

 

Sobre a Parafuzo
A Parafuzo é uma plataforma intermediadora de serviços domésticos que desde 2013 já promoveu a limpeza de mais de 200 mil lares. Pelo site, você faz um orçamento de limpeza e agenda o serviço de onde estiver e quando quiser. Os profissionais são autônomos e com experiência em limpeza. www.parafuzo.com

27ª Feistock feira de móveis e decoração, de 9 a 12 de novembro

Faltando menos de três meses para mais uma edição da Feistock, a maior e melhor feira de móveis e decoração do Brasil, os preparativos começam a ser intensificados visando atender o grande público consumidor. “Nos últimos anos o público vem aumentando, então precisamos estar com tudo bem definido para atender esta expectativa dos visitantes”, explicou o empresário Jonathan Roger Linzmeyer, Diretor Comercial da TBS Feiras & Eventos, empresa que organiza o evento.

Em 2017, a feira vai acontecer de 09 a 12 de novembro, no Pavilhão de Eventos da Promosul em São Bento do Sul, cidade localizada no norte de Santa Catarina. Com expectativa de receber mais de 30 mil visitantes com alto poder de compra, o evento promete agitar o setor moveleiro. Serão mais de 90 expositores em uma ampla área de 10.300 m².

Além dos expositores, a grande preocupação está também voltada à estrutura. O conforto dos visitantes, como em todas as demais edições da Feistock, vem sendo colocado como prioridade. A escolha criteriosa dos expositores também é um ponto do qual a organização não abre mão, já que a maior parte da comercialização é voltada para o consumidor final. “São realizadas muitas compras e temos que ter a preocupação de que a empresa entregue na data estabelecida”, disse Linzmeyer.

A Feistock é realizada há mais de 12 anos e já se consolidou como uma marca forte e de muita credibilidade. O evento é inclusive responsável pelo crescente público que visita a cidade de São Bento do Sul.

A qualidade dos expositores e dos produtos comercializados, aliado a preços bastante acessíveis – que podem chegar a 70% abaixo do valor de mercado –, tem atraído pessoas de diversos estados brasileiros e até mesmo alguns clientes dos países do Mercosul. “Como são vendas diretas, os fabricantes conseguem oferecer os produtos com preços mais atrativos”, justificou o empresário.

Com duas edições anuais da Feistock, a TBS vem conseguindo conquistar a fidelidade do público e ampliar a procura por novos mercados consumidores. A principal meta é aproximar o consumidor dos fabricantes que oferecem produtos de qualidade com preços finais imbatíveis.

TBS Feiras & Eventos

Restaurar mobilia e dar vida nova aos ambientes sem gastar muito

Valorizar o que já se tem em casa é ótima forma de renovar a decoração de sua casa, sem gastar muito. É a dica da arquiteta Tayna Gonçalves que tem mais de 10 anos de mercado em projetos de interiores e sugere a restauração de móveis como uma alternativa barata, para dar vida nova aos ambientes de sua casa ou apartamento.

A profissional explica que é possível dar aquela repaginada na decoração, mudando cores e revestimentos de alguns itens da mobília como sofás e cadeiras, e com isso, atualizar a tendências do momento ou simplesmente manter a identidade visual do ambiente, dando apenas uma revitalizada nos itens que o compõe.

Tayna diz ainda que a restauração de móveis é também uma boa oportunidade para reparar defeitos em algumas peças que surgem com o tempo. “Pernas e encostos de madeira dessas mobílias precisam, com o tempo, ser tratadas, ou seja, lixadas e impermeabilizadas com verniz”, diz a arquiteta.

A profissional lembra que, antes de mandar o móvel para ser restaurado, é bom sempre fazer uma avaliação de suas condições estruturais. “Se estiver muito quebrado, ou com traças por exemplo já não vale tanto a pena o reuso”, diz. A arquiteta afirma que quase tudo pode ser renovado em casa, de estofados, passando por armários e até eletrodomésticos maiores como geladeiras.

Em um de seus mais recentes projetos, em um apartamento no Setor Bueno em Goiânia, a arquiteta demonstra bem como a restauração de móveis pode fazer a diferença na decoração, e o que melhor, sem se gastar muito.O sofá da residência estava com uma cor desbotada e já desgastado com o uso, por isso a arquiteta optou em manter a estrutura original do móvel, mudando apenas o revestimento que ganhou um veludo preto. A mesa de jantar num estilo clássico, também ganhou cara nova, ao passar por uma pintura e por um processo de pátina branca. “Também trocamos os tecidos das cadeiras, dando mais cor à peça. Só com a renovação do sofá, da mesa e das cadeiras foi possível uma economia de mais de 80%, se a moradora fosse comprar móveis novos”, diz Tayna.

Para a arquiteta, além do benefício econômico, a reforma de móveis é uma forma consciente de se decorar, uma vez que você deixa de descartar algo que ainda está em condições de uso. “O desperdício é algo que nós arquitetos não defendemos. Então ter um olhar clínico e crítico no sentido de aproveitar esses móveis é algo muito bacana a se fazer”, argumenta.

Em outro projeto, ela além de mudar o estofado e tecido do sofá, Tainá também mudou o modelo, a estrutura de madeira do móvel. “Neste caso tínhamos um tom bege e mudamos para algo mais ousado uma cor vinho. O modelo também se adaptou melhor a nova proposta de decoração do ambiente. Neste caso a economia foi ainda maior, de quase 90% do que se gastaria com um novo sofá do mesmo modelo”, explica.

Escolha do profissional

Outra dica importante dada pela arquiteta Tayná é sobre a escolha do profissional que irá fazer esse trabalho de restauração de móveis. Segundo ela, é necessário, antes de mais nada, encontrar o profissional certo para o trabalho que será feito, pois dependendo da peça que será restaurada e o que será feito nela você pode precisar dos serviços de alguém que trabalhe com estofados, ou tapeçaria, pintura de móveis ou restauro de madeira.

Depois de saber o que precisará ser feito no móvel, busque referências e informações com quem já solicitou o serviço, e se receber a indicação de algum prestador de serviço, saiba qual a experiência dele, veja como ficou um móvel que ele restaurou, negocie antes o valor, a forma de pagamento e o prazo de entrega. “Uma outra dica é procurar um profissional da área de decoração, pois em geral eles já têm os prestadores de serviço de nossa confiança”, afirma a arquiteta.

Outra orientação de Tayná Gonçalves é não fazer essa restauração dos móveis aos poucos, segundo ela, dessa forma acaba saindo mais caro. “Ao fazer o serviço todo de uma vez, se consegue um bom desconto com o prestador de serviço, além de já deixar a casa pronta e renovada de uma vez só”, aconselha.

Portal Nacional de Seguros – Segs.com.br

Kinta Home Decor Oferece Variedade Em Revestimentos

Não tem como pensar em arquitetura e decoração sem os revestimentos, presentes em diversas cores, estampas e formatos no mercado atual. A boutique de acabamentos Kinta Home Decor conta com uma gama de marcas renomadas que oferecem tecnologia e qualidade em cerâmicas, porcelanatos e vinílicos. São opções que englobam desde o mais clássico, até o mais moderno em termos de paletas de cores e desenhos.

Com revestimentos modernos, que apostam no metálico, uma das novidades da Porcelanosa é o Bombay Silver. As pequenas telas de cor prata com meio centímetro alternam entre o brilhoso e o fosco, de acordo com ângulo de visualização. A Venis tem opções na cor bronze, como o Artis Bronze e o Prisma Bronze, ambos com desenhos em alto relevo que tornam o ambiente luxuoso e aconchegante.

Também em relevo, o Escama Malena da Ceusa possui desenhos de escama geométrica, com o movimento de zigue-zague e textura sedosa. É indicado para assentamento em junta seca, com espaçamento mínimo entre as peças.

Para ambientes externos, o Mattone Di Venezia traz o Cioccolato, um revestimento rústico que reproduz o tijolo de demolição italiano na cor marrom chocolate. Se o objetivo for criar uma divisão, mas sem segmentar os ambientes ao permitir que a luz passe, a Elemento V oferece cobogós em diversas opções: Leaf, com bordas arredondadas; Arco, cujo desenho interno é assimétrico; Ellipse, com formato retangular; e Vetro, com vidro aplicado.

Em aspecto marmorizado, o porcelanato esmaltado polido Prestige da Incepa dá um ar clean ao ambiente. Já a Roca tem o porcelanato Serena, que reproduz a madeira natural, inclusive com seus veios. Na sua versão em porcelanato plus, a placa ganha superfície acetinada, na opção polida, as peças possuem uma camada cristalina.

Essas e outras novidades em revestimentos estão disponíveis na Kinta Home Decor, localizada no Batel, Curitiba-PR.

Endereço:
Alameda Dr. Carlos de Carvalho, 1645 – Batel, Curitiba – PR, 80730-200
Telefone: (41) 3074-7255

11 dicas para que o sonho da casa própria não vire um pesadelo

A empolgação natural durante a busca pela realização do sonho da casa própria faz com que muitas vezes as famílias não se atentem para detalhes essenciais e que se não forem observados podem fazer deste sonho um grande pesadelo. À frente de um dos mais renomados escritórios de arquitetura do Brasil, a Norden^ Arquitetura, Paulo Renato Alves que já acumula 20 anos de experiência em vários tipos de projetos dá dicas simples, mas pontuais na hora de escolher um imóvel que realmente proporcione conforto e segurança para sua família. Confira algumas dessas orientações que podem fazer toda a diferença na hora de comprar ou até mesmo alugar.

  1. Fachada. A fachada de um prédio, segundo o arquiteto e urbanista, é como se fosse uma roupa que alguém usa, mas diferente de uma roupa que pode ser trocada a cada estação, no caso de um edifício é bom sempre fugir do modismo, evitando, por exemplo, cores da moda ou muito fortes, pois isso, segundo ele, faz com que esse visual externo enjoe rapidamente, gerando até mesmo uma desvalorização do imóvel. “O ideal é sempre procurar uma fachada com um estilo atemporal e que não exija tanta manutenção. Como por exemplo, prédios que estão em áreas de franca expansão imobiliária onde há uma incidência muita grande ainda de terra e poeira, os edifícios com fachadas com cores brancas devem ser evitados, pois irá se exigir uma repintura a cada dois anos. Fachadas com cores muito escuras também não são interessantes, além de promover o aumento da temperatura interna do imóvel, o pigmento dessas tintas se desbota muito rapidamente”, explica Paulo Renato. Portanto, seguindo a orientação de quem sabe, no que tange à economia, o melhor é optar por uma fachada mais durável; e no quesito de estético, o ideal é escolher as fachadas mais neutras ou num estilo atemporal. “Uma fachada atemporal é aquela em que com certeza daqui a 20 anos ainda estará moderna, não sai de moda”, diz o arquiteto.Em relação às casas, as dicas de Paulo Renato são basicamente as mesmas. “Casas por exemplo que têm muito uso de vidro podem até passar um ar de modernidade, porém exigem muita manutenção, dando muito trabalho e gastos. Então o ideal é fazer uma mescla entre o que é bonito e o viável, sem exageros”, frisa o profissional.
  2. Janelas e varandas. Paulo Renato explica que as janelas promovem, além da iluminação, a ventilação do ambiente. Por isso esses itens devem estar localizados em posições da casa por onde passe uma grande quantidade de luz, gerando assim uma significativa economia com energia, já que não será preciso usar luz elétrica durante o dia. “O que se vê muito, quando o imóvel não é planejado por um profissional com a devida competência técnica, são casas ou apartamentos com janelas muito pequenas, menores até do que as dimensões recomendadas, ou então janelas que dão para uma varanda, ai então temos aquele ambiente enclausurado. Portanto, escolher um imóvel que favorece o uso da iluminação natural e de ventilação natural reflete muito no bolso do morador”, diz Paulo Renato. Outro aspecto interessante a ser observado nas janelas, explica o arquiteto, é que a entrada de mais luz solar ajuda a combater bactérias. “Ambientes muito escuros e com pouca ventilação são muito insalubres, e favorecem a proliferação de fungos e bactérias nocivos a nossa saúde”, destaca.
  3. Quartos. Quanto aos quartos, a dica do especialista é ficar atento ao layout, principalmente os que têm suíte. Paulo Renato explica que o ideal é que nesse ambiente se consiga colocar todos os móveis que ele precisa e ao mesmo tempo haja uma circulação fácil, em que a pessoa precise se movimentar pouco. “As vezes você até tem um quarto grande, mas se uma janela ou o acesso à suíte forem colocados no local errado, perde-se muito espaço que poderia ser usado para o mobiliário. Ai você é obrigado a colocar um móvel quase que no meio do quarto ou juntar tudo do lado de uma parede só. Em geral plantas que geram menos circulação são mais eficientes”, orienta o arquiteto. Ainda sobre o layout do quarto, o arquiteto faz um alerta: evitar camas próximas às janelas, especialmente em residências onde irão morar crianças. Se não tiver como mudar a mobília, o correto é o uso de uma grade ou uma rede de segurança. Outra orientação importante feita pelo arquiteto é sobre o posicionamento dessas janelas. Paulo Renato explica que o ideal é que as janelas desses ambientes fiquem viradas para o sol nascente, ao invés do sol poente que traz um calor mais intenso, ocasionando assim um efeito estufa, ou seja, o local estará muito quente e abafado à noite, quando as pessoas efetivamente usam o quarto.“No caso do sol da manhã, ele aquece o quarto, elimina muitas bactérias e ao longo do dia o ambiente irá esfriar, já que não receberá esse sol mais forte da tarde, deixando o quarto com uma temperatura mais amena evitando o uso contínuo do ar condicionado”, completa o arquiteto.
  4. Garagens. As garagens, especialmente nos edifícios, são motivo de muitas dores de cabeça para quem, na hora da compra do imóvel, não observou pequenos detalhes que fazem muita diferença. Por isso Paulo Renato esclarece que as garagens dos prédios têm tamanhos padrões. No caso de Goiânia, de acordo com a lei municipal vigente, o mínimo é 2,40 m de largura por 4,80 de profundidade. As vagas extras, aquelas que são feitas além do exigido, podem ser um pouco menores, tendo um mínimo de 2,30 m por 4,60 m. O arquiteto lembra que, desde 2008, empreendimentos em Goiânia são obrigados a oferecer, em pelo menos 20% de suas unidades, garagens com uma metragem maior, com 2,50 m por 5,50 m, que é para uso de caminhonetes e utilitários maiores. “Portanto, na hora escolher um imóvel num prédio a pessoa deve se atentar para essas medidas”, pontua Paulo Renato. Mas o especialista ressalta que essas regras são válidas para empreendimentos novos (projetados de 2008 pra cá). Em prédios mais antigos isso pode variar, não só as medidas, mas também outros aspectos como pilares invadindo vagas, o que em alguns prédios que foram construídos há mais tempo é permitido. “Hoje, nos novos empreendimentos isso é proibido. Então é muito importante saber o ano da aprovação do projeto e averiguar na legislação quais eram as medidas e normas técnicas vigentes na época”, informa Paulo Renato. Em relação à localização da vaga de garagem, a dica do especialista é evitar os espaços colados à paredes, ou com pilares grandes perto ou com o pilar muito perto do começo da vaga, o que dificulta as manobras.
  5. Área de lazer. Paulo Renato lembra que em Goiânia, especialmente no ano de 2010, viveu-se um momento recente com a construção de muitos condomínios clubes, com vários itens de lazer. Ele explica que esse é um aspecto que pode realmente trazer muita valorização ao imóvel, mas é preciso ter também muito cuidado com o excesso, observar o que realmente será usado, e principalmente, averiguar o que é viável financeiramente. “Muitos desses equipamentos de lazer como sauna, várias salas de jogos, muitos tipos de quadra, fontes luminosas, floreiras e outros itens exigem constante manutenção e isso eleva em muito a taxa de condomínio. Portanto, se o preço do condomínio é um problema, preferia aqueles residenciais que têm uma estrutura de lazer mais enxuta, com uma piscina, uma academia, um playground (ou brinquedoteca) e salão de festas”, aconselha.
  6. Cozinha americana. A cozinha americana é um modelo de ambiente muito comum nas casas e apartamentos nos dias de hoje. Mas ainda assim muita gente fica em dúvida se esse tipo de opção é vantajosa ou não. O arquiteto avalia o uso da cozinha americana com uma característica interessante para o imóvel, pois possibilita aquela sensação de amplitude de espaço. Mas ele também levanta um problema prático que de fato incomoda muita gente, a gordura que sobe com o preparo dos alimentos. “Uma sugestão é deixar o fogão na parede oposta à divisa com a sala, tendo em vista que nenhum exaustor é capaz de absorver toda essa gordura e fumaça que se dá no preparo dos alimentos. Outra alternativa é fazer as divisórias com painéis e fechá-las na hora do preparo dos alimentos”, sugere o arquiteto.
  7. Banheiros. Uma coisa que pode parecer sem importância, mas que as pessoas devem ficar atentas, seja em casas ou em apartamentos, é para a posição da janela ou do basculante do banheiro. “O ideal é que essas janelas fiquem do lado do box ou bem perto do chuveiro. Isso porque o chuveiro é o principal ponto de umidade desse ambiente. Se essa janela ou basculante está longe do chuveiro ou do box, há grandes chances de surgir mofo no banheiro, pois essas aberturas têm como uma de suas funções eliminar o vapor d’água e com isso o excesso de umidade”, explica.
  8. Condições estruturais do imóvel. Buscar a orientação de um profissional devidamente habilitado, como um arquiteto ou engenheiro para acompanhar a vistoria do imóvel. Essa é outra dica fundamental para quem está procurando uma casa ou apartamento. “Existem defeitos que são bem visíveis, como rachaduras ou infiltrações, mas existem vários outros problemas ocultos, que são percebidos somente na avaliação de alguém que tenha o devido conhecimento técnico”, ressalta Paulo Renato Alves. Um dos problemas que podem ser percebidos numa vistoria feita por quem tem o devido conhecimento técnico é, por exemplo, o caimento correto de um piso. “Muitas vezes quem está comprando ou alugando um imóvel, seja casa ou apartamento, vê o chão com um piso novo, bonito e tudo mais, mas só depois que a pessoa já se mudou, é que ela percebe que na hora de usar o banheiro ou lavar a cozinha a água corre para o lado oposto ao ralo ou acumula num canto, formando poças d´água, uma coisa que no seu dia a dia vai dar muito trabalho”, diz o arquiteto. Paulo Renato esclarece que no caso de imóveis novos, as construtoras sérias do mercado voltam ao imóvel depois da obra entregue, garantindo que esses tipos de problemas sejam solucionados, uma vez que este compromisso é determinado por lei. Mas quando se compra de um imóvel de terceiro resolver essas questões fica muito mais difícil, pois o ex-dono pode querer alegar que não havia o problema e muitas vezes a questão vai se resolver somente na Justiça. “Para evitar esse tipo de dor de cabeça a minha dica é contratar uma profissional devidamente habilitado para acompanhar a vistoria do imóvel”, afirma Paulo Renato.
  9. Instalações. Uma boa dica do arquiteto para quem está procurando um imóvel usado diz respeito às instalações elétricas e hidráulicas. Nesse caso, mais uma vez é necessária a ajuda de um profissional especializado para uma avaliação. No caso da instalação elétrica, Paulo Renato explica que os componentes que a integram (fios, interruptores, tubulações, disjuntores e outros itens) têm prazos de validade que variam de acordo com o fabricante e seu uso. Segundo ele, em imóveis mais antigos, com mais de 20 anos, a atenção precisa ser ainda maior. “Hoje a quantidade de eletrodomésticos e eletroeletrônicos que temos em casa é bem maior do que há duas décadas. Antigamente, a grande maioria das casas tinha uma ou duas TVs, um chuveiro, uma geladeira bem simples, uma máquina de levar e as vezes um micro-ondas. Hoje não. São muitos os itens que dependem da eletricidade para funcionar e muitas vezes todos são usados quase que simultaneamente. Portanto, os imóveis antigos não estavam preparados para isso. As mesma coisa acontece a com a rede hidráulica que também tem uma vida útil”, esclarece Paulo Renato.
  10. Armadilhas. Já para quem procura um imóvel na planta, o arquiteto Paulo Renato alerta para algumas armadilhas do mercado. Ele explica que algumas vezes as plantas baixas do imóvel, principalmente aquelas que estão nos folders de propaganda, não condizem com o que realmente será o imóvel. “As vezes usa-se medidas dos móveis que não são padrões, para ter-se a impressão de que o quarto ou sala seja grande e caiba tudo que precisa. Mas é preciso comparar o tamanho do ambiente que é oferecido com a metragem dos móveis que você pretende usar. Uma cama de solteiro, por exemplo, tem uma metragem média de 2,00m X 0,90m e as vezes você visita um decorado e usam uma cama com uma medida menor. Essas coisas são raras de ocorrer, mas infelizmente as vezes ocorrem”, alerta o arquiteto.
  11. Liquidez. Paulo Renato lembra que um imóvel na grande maioria das vezes representa mais da metade do patrimônio de uma pessoa, ou muitas vezes é o único patrimônio, por isso é importante preocupar-se com a liquidez que ele irá gerar. Ou seja, o quanto ele poderá valorizar e se será fácil ou não revendê-lo. “A grande maioria das pessoas quando compra um imóvel acha que vai viver naquele lugar por toda a vida, mas isso dificilmente acontece. Por algum motivo ou outro você pode precisar se desfazer desse imóvel, seja porque a família encolheu com a saída dos filhos, ou porque você conseguiu um trabalho muito fora de mão, enfim, são vários os motivos. Sendo assim, evite personalizar muito o imóvel, adotando coisas que muitas vezes só você gosta. Isso na hora de revender a casa ou o apartamento pode atrapalhar ou te obrigar a refazer o projeto original”, diz o arquiteto.

 

SEGS – Portal Nacional de Seguros

Segurança residencial: como previr ataques a sua casa

Mesmo se tratando de um item de extrema importância, muitas vezes, a segurança residencial, e até mesmo a comercial, é totalmente negligenciada. Por excesso de otimismo, acreditamos que o pior nunca irá acontecer com a gente. O fato é que não podemos deixar de nos prevenir, já que os números de assaltos têm se tornado cada vez mais alarmantes.

Para se ter uma ideia, no ano passado só no Distrito Federal, o número de assaltos a residências cresceu 17,5% entre janeiro e dezembro, o que significa que, apenas na capital federal, 684 pessoas tiveram seus domicílios invadidos. Já em São Paulo, ao menos onze casas são invadidas por criminosos diariamente.

Na maioria desses casos, o meliante se aproveita de locais mais vulneráveis, com fácil acesso e pouca proteção, preferindo agir em horários noturnos ou quando não tem ninguém por perto.

Medidas de Segurança

Contudo, com a adoção de medidas simples pode-se minimizar ou até zerar essas ocorrências. Dentre as soluções de segurança disponíveis, o sistema de alarme se consolidou como uma das mais importantes. Isso porque, logo quando ocorre a intrusão no local protegido o mesmo é automaticamente acionado.

Se sua instalação incluir um plano mais elaborado, levando em consideração as condições físicas e o valor do que será protegido, seus resultados podem ser ainda mais eficientes.

No caso de uma residência de alto padrão e com grandes valores em dinheiro ou jóias, por exemplo, a instalação de um sistema com diversos tipos de sensores integrados a equipamentos que impeçam a visualização do objeto, como o gerador de névoa, irá desnortear e impedir a ação do assaltante.

O ideal é que o sistema de alarme inclua vários níveis de proteção pois­, dessa forma, será impossível invadir o local sem fazer com que o mesmo dispare.

Outro ponto que deve ser levado em consideração é sua comunicação com a central remota de monitoramento 24 horas. Atualmente, as três tecnologias de comunicação mais recomendadas são transmissão por linha fixa, GPRS e Ethernet, que são ainda mais difíceis de serem sabotadas.

Câmeras de Segurança

Outra maneira bem eficiente de prevenir a invasão em residências e comércios é integrando câmeras de segurança com visão noturna por infravermelho ao sistema de alarme. Por viabilizar uma imediata conferência do local, essa ferramenta agiliza o processo de confirmação dos eventos pela central remota de monitoramento, fazendo com que os profissionais responsáveis possam acionar as autoridades e a viatura de averiguação mais rapidamente.

Ao aliar o sistema de alarme com o circuito fechado de câmeras, você estará prevenindo e remediando ao mesmo tempo. Pois, se mesmo depois do alarme ser acionado o meliante continuar agindo, ainda será possível usar as gravações para auxiliar as autoridades a identificarem os autores do crime.

Contudo, vale lembrar que cada residência, estabelecimento comercial e condomínio tem necessidades de segurança diferentes e específicas. Portanto, para investir na solução mais apropriada ao seu caso é imprescindível contratar uma empresa de confiança e especializada no segmento, que faça uma análise consultiva do local a ser protegido. Só assim você poderá ter acesso a um projeto baseado nas suas vulnerabilidades e que garanta sua real segurança.

 

Sobre o Autor
Perseu Iuata Costa é sócio fundador da Japan Security, empresa com quase 20 anos de atuação no setor de segurança patrimonial.

Sobre a Japan Security
A Japan Security, empresa com 20 anos de atuação no mercado de segurança patrimonial, tem como missão desenvolver soluções inteligentes utilizando tecnologia de ponta nas áreas de monitoramento e segurança de residências, empresas e cidades. www.japansecurity.com.br

Lã De Rocha é tendência em isolamento térmico e acústico

Produtos fabricados a partir das fibras minerais da lã de rocha têm sido cada vez mais procurados por empresas da área de construção civil e por diversos tipos de indústrias, devido a eficiência do material e sua capacidade de diminuir o consumo de energia. Segundo pesquisas, o uso de lã de rocha no isolamento térmico de prédios e instalações industriais pode reduzir em até 75% o consumo de energia.

O isolamento térmico e acústico tem se tornado cada vez mais comuns em projetos arquitetônicos, por garantir maior conforto para os moradores. Já no caso da indústria, em alguns setores, esse tipo de serviço é essencial, por contribuir para o correto funcionamento dos equipamentos e para um melhor desempenho energético.

O mercado está repleto de opções de isolantes, porém nem todos possuem o mesmo nível e capacidade de desempenho, principalmente para locais que necessitam de um material de grande eficiência, que seja durável e que não ofereça riscos.

São nesses quesitos que a lã de rocha tem se destacado, pois essas fibras possuem uma ótima capacidade de absorção acústica, conseguem suportar altas temperaturas, são incombustíveis, não apodrecem e não agridem o meio ambiente.

Além disso, segundo pesquisas, o uso de lã de rocha no isolamento térmico de prédios e instalações industriais pode reduzir em até 75% o consumo de energia. O que torna seu uso uma ação sustentável também.

A variedade de opções ao se utilizar a lã de rocha

A lã de rocha é encontrada em uma grande variedade de materiais, o que torna o seu uso possível nos mais diversos lugares ou equipamentos, desde telhados, paredes, pisos, estúdios, até em dutos de ar condicionado, fornos, estufas, tubulações, entre outros.

Por esses motivos, tem se tornado muito comum a procura pelos produtos à base dessas fibras mineiras, o que tem feito também aumentar a variedade de opções, que hoje vão desde mantas e painéis de lã de rocha, até tubos, feltros e flocos.

O mercado encontra-se em constante expansão, segundo especialistas. Porém, para usufruir de todos os benefícios proporcionados pela lã de rocha é importante procurar por uma empresa especializada nesse tipo de produto e que, de preferência, forneça assistência para a correta aplicação do material.